Nov 17
Plural bate novo recorde de produção  

A Plural divulgou que bateu novo recorde de produção no último mês de setembro atingindo a marca de 204.861.457 giros de cadernos de 16 páginas. Em julho, a empresa já havia alcançado 200.038.064 giros de cadernos de 16 páginas. O crescimento da produção, segundo a empresa, é resultado do forte investimento em tecnologia. A gráfica, uma das maiores da América do Sul, informou que também é por oito anos consecutivos líder em capacidade produtiva no Brasil. Os dados são da Análise Setorial da Indústria Brasileira de Gráficas com Rotativas Offset, pesquisa realizada pela consultoria AMSG para a Associação Brasileira de Empresas com Rotativas Offset (ABRO). Publish


Segurado já pode ver valor do 13º benefício

Os aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) já podem verificar, na internet, qual será o valor da segunda parcela do 13º benefício, que será paga pelo Ministério da Previdência Social a partir do próximo dia 24. A consulta está disponível desde ontem no site da Previdência Social.
A grana será depositada para cerca de 23,6 milhões de beneficiários do INSS. Para quem paga Imposto de Renda, a segunda parcela do 13º será menor que a primeira --a mordida do Leão virá nesse segundo pagamento.
O IR devido sobre o abono é descontado somente na segunda parcela, que cairá na conta do segurado no mesmo dia em que ele recebe o pagamento do benefício. Quem recebe auxílio-doença também ganhará o abono. Fonte: Agora SP


Previdência libera 14 mil benefícios no Estado de SP

No período de 30 de outubro a 6 de novembro, o INSS liberou 13.956 benefícios no Estado de São Paulo.
 Clique aqui e confira a lista completa de benefícios
 Para saber se você está na lista, pressione as teclas Ctrl e F ao mesmo tempo, digite o número do seu CPF ou CNPJ (incluindo pontos e traço) na caixa que aparecer e pressione Enter
Na capital, foram 3.692 contemplados. Na Grande São Paulo, 2.303. Já no interior, foram liberados 7.961 benefícios. Fonte: Agora SP


Comissão de Orçamento aprova mínimo de R$ 540

A Comissão Mista de Orçamento aprovou ontem o relatório preliminar do Orçamento para 2011, determinando que o salário mínimo seja de R$ 540 no ano que vem. O aumento, de R$ 30, não dá ganho real --ou seja, acima da inflação-- para o piso nacional.
O relatório também não prevê aumento superior à inflação para os aposentados que ganham acima de R$ 510. Pela legislação, os benefícios do INSS com valor superior ao mínimo devem ser reajustados de acordo com a inflação, que, neste ano, deve ser de 5,27%.
Apesar da aprovação do relatório, a decisão final sobre o valor do mínimo e o índice de reajuste das aposentadorias deve ficar para as próximas semanas. As centrais sindicais pressionam por um mínimo de R$ 580 e por um ganho de 9,1% para as demais aposentadorias. A intenção é fazer uma nova rodada de negociações com o governo para discutir o assunto. Fonte: Agora SP


Paulistanos sonham com um carro popular

A maioria dos carros dos sonhos dos paulistanos não vale milhões de reais --exceto pelos modelos Ferrari, que aparecem em primeiro lugar na lista de carros mais desejados e custam a partir de R$ 1,3 milhão. Ford Ecosport, Volkswagen Gol, Fiat Palio e Honda Civic estão na sequência da lista dos sonhos de consumo, de acordo com uma pesquisa desenvolvida pela APPM (Análise, Pesquisa e Planejamento de Mercado).
O levantamento foi feito com mil entrevistados na capital. A APPM perguntou quais carros eles escolheriam se tivessem grana suficiente para fazer a compra.
"Hoje, a decisão da compra do automóvel é racional e prática", afirmou Rodrigo Queiroz, diretor de marketing da APPM. "Isso significa que, além de avaliar o preço, o consumidor pensa no valor do seguro, nos riscos de assalto, na sua segurança e na praticidade que o veículo oferece." Fonte: Agora SP


Empresa não pode forçar trabalhador a vender parte das férias

Ex-empregado da HSBC Seguros Brasil S.A. provou na Justiça do Trabalho que era forçado pela empresa a vender um terço de suas férias e, com isso, conseguiu o direito a receber os valores referentes aos dez dias de todos os períodos em que não gozou o descanso remunerado.
Na última tentativa para reverter essa condenação, a empresa interpôs recurso no Tribunal Superior do Trabalho, que foi rejeitado (não conhecido) pelos ministros da Sexta Turma. Com isso, ficou mantido o julgamento anterior do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (PR) desfavorável à HSBC Seguros.
No processo, o trabalhador alega que, embora tenha sempre usufruído férias, elas eram concedidas em regime de abono pecuniário, ou seja, 20 dias de descanso e 10 dias de trabalho. Isso ocorreria “por ato unilateral da empresa”. A única exceção teria sido na época do seu casamento (2002/2003), quando, “depois de exaustivo e difícil processo de negociação, conseguiu, mesmo contra a vontade do patrão, férias superiores a vinte dias”.
No primeiro julgamento, a Vara do Trabalho não constatou irregularidades nas férias. No entanto, essa decisão foi revertida pelo Tribunal Regional que acatou recurso do ex-empregado e condenou a HSBC Seguros a pagar os dez dias referentes aos períodos de 2000/2001, 2001/2002 e 2003/2004.
De acordo com o TRT, a conversão de 1/3 do período de férias em abono pecuniário “constitui faculdade do empregado, a ser exercida mediante requerimento formulado até 15 dias antes do término do período aquisitivo (art. 143 da CLT).” Assim, caberia à empresa apresentar os requerimentos com as solicitações do trabalhador. “Ausente a prova de que a conversão de 1/3 do período das férias em abono pecuniário decorreu de livre e espontânea vontade do empregado, reputo veraz a assertiva de que isto ocorreu por imposição da empresa”.
Esse entendimento foi mantido pela Sexta Turma do TST. O ministro Mauricio Godinho Delgado, relator do acórdão, destacou que o “caráter imperativo das férias”, principalmente no que diz respeito à saúde e à segurança do trabalho, “faz com que não possam ser objeto de renúncia ou transação lesiva e, até mesmo, transação prejudicial coletivamente negociada.”
Por isso, não pode a empresa obrigar o empregado “a abrir mão de parte do período destinado às férias, à medida que favorecem a ampla recuperação das energias físicas e mentais do empregado.” Essa imposição, de acordo com o ministro, gera “a obrigação de indenizar” o período correspondente às férias não gozadas. (RR - 1746800-23.2006.5.09.0008) Fonte: TST


Banco de horas só vale por acordo coletivo e não individual
 
Acordo individual plúrimo referente a banco de horas não tem validade. A compensação anual só é permitida se estabelecida por negociação coletiva. Com esse entendimento, a Seção I Especializada em Dissídios Individuais (SDI-1) do Tribunal Superior do Trabalho rejeitou embargos da Magneti Marelli do Brasil Indústria e Comércio Ltda., uma empresa mineira que buscava o reconhecimento da validade de acordo individual de compensação de jornada feito com seus empregados.
Acordo individual plúrimo é aquele que se dá para uma parcela de empregados de uma determinada categoria, versando sobre um ponto específico – no caso em questão, o banco de horas para os empregados da Magneti Marelli do Brasil.
A reclamação foi ajuizada pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Belo Horizonte e Contagem, para quem os últimos resultados têm sido favoráveis. Após decisão da Sexta Turma, negando provimento ao recurso da Magneti, a empresa apelou à SDI-1, argumentando que a Súmula 85 do TST não exclui o banco de horas quando registra a validade do acordo individual escrito para implantação de regime de compensação horária.
Ao analisar os embargos, a ministra Maria de Assis Calsing, relatora, distinguiu o banco de horas – anual - da compensação a que se refere a Súmula 85, que se limita à jornada semanal. A relatora esclareceu que a Lei 9.601/98, ao dar nova redação ao artigo 59, parágrafo 2.º, da CLT, estabeleceu o padrão anual de compensação, e implantou, assim, o banco de horas, “desde que por meio de negociação coletiva”.
A relatora cita o preceito pelo qual o acréscimo de salário pode ser dispensado se, por acordo ou convenção coletiva de trabalho, “o excesso de horas em um dia for compensado pela correspondente diminuição em outro dia, de maneira que não exceda, no período máximo de um ano, à soma das jornadas semanais de trabalho previstas, nem seja ultrapassado o limite máximo de dez horas diárias”.
Utilizada como argumento pela empresa porque possibilita o acordo individual escrito para compensação de jornada, a Súmula 85, no entanto, trata apenas da jornada semanal. Nesse sentido, a ministra Calsing enfatizou que o verbete jurisprudencial “tem como parâmetro de compensação o limite da jornada máxima semanal, que corresponde a 44 horas semanais”. E, de modo diverso, continuou a ministra, “o banco de horas admite módulo anual e sua fixação por instrumento coletivo decorre de imperativo legal”. Ou seja, o artigo 59, parágrafo 2.º, da CLT não pode ser aplicado se a fixação do banco de horas não foi formalizada mediante norma coletiva.
Por fim, destacando que a Súmula 85 do TST não se identifica com a hipótese prevista no artigo 59, parágrafo 2.º, da CLT, e citando precedentes da própria SDI-1, a ministra Calsing concluiu ser inviável o reconhecimento da validade do acordo de compensação de jornada, que tem como critério o banco de horas, sem haver negociação coletiva. A SDI-1, então, seguindo o voto da relatora, negou provimento ao recurso de embargos da empresa. Fonte: TST


Jorge Caetano Fermino

escrito por jorge

Nov 16
SISTEMA JUDICIAL I – Há, no sistema jurídico nacional, uma política entre grupos de juristas influentes para formar alianças e disputar espaço, cargos ou poder dentro da administração do sistema. Esta é a conclusão de um estudo do cientista político Frederico Normanha Ribeiro de Almeida sobre o judiciário brasileiro. O trabalho é considerado inovador porque constata um jogo político “difícil de entender em uma área em que as pessoas não são eleitas e, sim, sobem na carreira, a princípio, por mérito”.


SISTEMA JUDICIAL II – Para sua tese de doutorado A nobreza togada: as elites jurídicas e a política da Justiça no Brasil, orientada pela professora Maria Tereza Aina Sadek, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, Almeida fez entrevistas, analisou currículos e biografias e fez uma análise documental da Reforma do Judiciário, avaliando as elites institucionais, profissionais e intelectuais.


SISTEMA JUDICIAL III – Segundo ele, as elites institucionais são compostas por juristas que ocupam cargos chave das instituições da administração da Justiça estatal, como o Supremo Tribunal Federal (STF), Superior Tribunal de Justiça, tribunais estaduais, Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Conselho Nacional de Justiça (CNJ).


SISTEMA JUDICIAL IV – No estudo verificou-se que as três elites políticas identificadas têm em comum a origem social, as universidades e as trajetórias profissionais. Segundo Almeida, “todos os juristas que formam esses três grupos provêm da elite ou da classe média em ascensão e de faculdades de Direito tradicionais, como o Faculdade de Direito (FD) da USP, a Universidade Federal de Pernambuco e, em segundo plano, as Pontifícias Universidades Católicas (PUC’s) e as Universidades Federais e Estaduais da década de 60″. Fonte: Cida de Oliveira, Rede Brasil Atual


Saiba como antecipar a aposentadoria

O segurado pode aumentar seu tempo de contribuição ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) mesmo sem trabalhar mais e, assim, antecipar a sua aposentadoria.
O Agora mostra dez pedidos que são aceitos pelo INSS e podem fazer com que o segurado complete antes as condições para pedir a aposentadoria por tempo de contribuição.
São situações que não são contabilizadas automaticamente pelo CNIS (Cadastro Nacional de Informações Sociais) ou que deveriam ser, mas pode ter ocorrido algum erro. Fonte: Agora SP


STJ dá indenização a dono de cartão de crédito

Consumidores que tiveram problemas com cartão de crédito têm garantido na Justiça a solução do problema e o direito à indenização por dano moral. Esse é o entendimento do STJ (Superior Tribunal de Justiça) em uma série de decisões de processos envolvendo consumidores lesados e administradoras de cartão.
Em um caso de furto, o ministro Luis Felipe Salomão entendeu que quem comunicar o fato no mesmo dia à empresa não pode ser responsabilizado por despesas realizadas após a perda do cartão.
O processo envolvia uma cliente que teve o nome inscrito no cadastro de devedores por não pagar compras que não realizou. O STJ fixou indenização de R$ 12 mil contra a empresa de cartão de crédito. Fonte: Agora SP


Receita libera restituição para 418 mil contribuintes

A Receita Federal vai pagar hoje o penúltimo lote de restituições do Imposto de Renda deste ano. No total, 418.694 contribuintes receberão a grana, que terá correção de 5,95% (variação da Selic, taxa básica de juros).
Desses contemplados, 30.192 são contribuintes com mais de 60 anos de idade, que foram priorizados conforme o Estatuto do Idoso. O órgão também vai liberar amanhã dois lotes residuais, de 2008 e de 2009, em que mais de 140 mil contribuintes sairão da malha fina e receberão a restituição.
Quem não estiver nesses lotes deverá consultar o extrato da declaração por meio do site da Receita Federal para verificar a existência de pendências no documento enviado à Receita. Fonte: Agora SP


Nascido em abril pode sacar o abono do PIS

A Caixa Econômica Federal já iniciou o pagamento do abono do PIS (R$ 510) dos trabalhadores nascidos em abril. Tem direito à quantia quem foi cadastrado no PIS ou no Pasep (servidores públicos) até 2005 e trabalhou com carteira assinada no ano passado por, no mínimo, 30 dias. Também é necessário ter recebido, em média, até dois salários mínimos por mês.
O abono pode ser sacado com o Cartão do Cidadão nos caixas eletrônicos da Caixa Econômica Federal, nas casas lotéricas e nos postos Caixa Aqui. Quem não tiver o cartão deverá procurar uma agência da Caixa --é preciso levar o documento de identidade e o comprovante de inscrição no PIS.
A partir do dia 17, poderá sacar o abono quem nasceu em maio. A grana poderá ser retirada até 30 de junho de 2011. Fonte Agora SP


Mulheres ocupam 13,7% dos cargos executivos nas empresas, diz pesquisa

SÃO PAULO – Um levantamento realizado pelo Instituto Ethos em parceria com o Ibope revela que, em 2010, apenas 13,7% dos cargos de executivos são ocupados por mulheres. Há três anos, a porcentagem era de 11,5%.
A proporção de mulheres é progressivamente maior nos níveis hierárquicos mais baixos. Nos cargos de gerência, elas ocupam 22,1% das vagas, enquanto na supervisão a porcentagem é de 26,8%. Já no quadro funcional, eles representam 33,1%
Aumento da participação
Na comparação entre a pesquisa anterior, realizada em 2007, os dados apontam que houve queda da mão de obra feminina em três dos quatro níveis hierárquicos analisados. Conforme a tabela abaixo:
 Nível hierárquico  2007 2010 Executivo 11,5% 13,7% Gerência  24,6% 22,1% Supervisão 37% 26,8% Quadro Funcional 35% 33,1% Fonte: Institutos Ethos e Ibope
Educação
Em relação à escolaridade, os dados apontam também que as profissionais têm número médio de 7,4 anos de estudo, dado superior ao dos homens (7 anos). As mulheres também são a maioria (54,8%) entre os brasileiros que atingem pelo menos 11 anos de estudo.
De acordo com a pesquisa, em 2007, elas detinham a maior proporção (54,9%) de matrículas e a maior parcela (59,8%) de concluintes do Ensino Superior.
Sobre a pesquisa
O estudo foi realizado com 500 empresas do Brasil, que responderam ao questionário entre os dias 24 de fevereiro e 18 de junho deste ano. Fonte: Instituto Ethos


Força Sindical entra com ações no STF contra PR e SC

A Força Sindical ingressará amanhã, às 11 horas, no Supremo Tribunal Federal (STF), com duas Ações Diretas de Inconstitucionalidade (Adin) contra os Estados do Paraná e Santa Catarina. Os dois Estados, segundo a central sindical, estariam concedendo subsídios ilegais à importação, o que estaria acarretando prejuízos para a indústria nacional e, consequentemente, à geração de empregos.
As ações serão impetradas por intermédio da Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM), setor que estaria sendo mais afetado pela guerra fiscal deflagrada por Paraná e Santa Catarina, que teriam zerado ou diminuído significativamente impostos de suas competências, como o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).
A apresentação das Adins será feita pelo presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, e representantes da CNTM, no setor de protocolos do STF, em Brasília. De acordo com a central sindical, a ilegalidade dos subsídios ocorreria porque os incentivos não teriam a autorização do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), órgão que reúne os secretários estaduais de Fazenda e tem como missão elaborar e harmonizar procedimentos e normas inerentes ao exercício da competência tributária dos Estados e Distrito Federal (DF). Na próxima semana, a Força Sindical entrará com Adins também contra os Estados de Pernambuco, Ceará, Alagoas e Goiás.
'Incentivos à importação por Estados com portos queima empregos no Brasil e cria postos de trabalho na China e em outros países. Só no setor siderúrgico deixaram de serem criados 15.400 empregos diretos e 61.600 empregos indiretos neste ano. O problema afeta também máquinas, equipamentos e têxteis', afirma Paulinho.
De acordo com ele, a operação ilegal se dá da seguinte forma: enquanto no porto de Santos (SP) o ICMS cobrado na importação é de 18%, nos portos de Itajaí (SC) e Suape (PE) é de zero. Quando os produtos são transportados dessas cidades para São Paulo, cobra-se do importador de 3% a 5%. A redução do ICMS para 3%, no caso de Santa Catarina, significa uma vantagem tributária de 19,6% no preço, considerando a inclusão do PIS (Programa de Integração Social) e da COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social). O importador acaba pagando mais por logística - o custo do transporte, mas economiza no imposto. Fonte: Agencia Estado


Jorge Caetano Fermino

escrito por jorge

Nov 11
A Federação Estadual dos Gráficos juntamente com os Sindicatos filiados, fecharam o Acordo Salarial dos empregados em Empresas Proprietárias de Jornais e Revistas do Interior com Aumento Real e Aumento da Faixa da PLR retroativo a partir de 1º de Outubro.
Depois de uma difícil negociação, em que os patrões endureceram bastante, conseguimos fechar o Acordo para os trabalhadores gráficos.
A última reunião aconteceu no dia 09 de Novembro, e teve como destaque a obtenção de Aumento Real na ordem de 3,17% sobre o Piso Salarial Normativo e Salário Funcional e mais a reposição integral da inflação do período de 4,68%, totalizando 8,0%.
Para os trabalhadores que tem salário acima do Salário Funcional o índice de Aumento Real ficou em 1,26% que somando a inflação do período (4,68%) totalizou um reajuste salarial de 6,0%.
Além disso, outra conquista importante foi o aumento do valor da Participação nos Lucros e Resultados das Empresas que teve um aumento de 12%, passando assim para R$ 616,00 que deverá ser pago em duas parcelas, sendo a primeira no pagamento do mês de Fevereiro e a segunda no mês de Agosto de 2011.
Com relação ao Vale Refeição/Vale Compras o valor foi reajustado em R$2,00 em cada ticket.
Companheiros, vamos nos manter mobilizados, pois somente assim as empresas nos ouvirão e conseguiremos ampliar nossas conquistas nas próximas negociações.

VEJA COMO FICOU:
Reajuste Salarial:

6% sobre os Salários  =  (Aumento Real de 1,26%)

Piso Salarial Normativo: 8,0%
(Aumento Real de 3,17%)  =  R$756,00

Salário Funcional: 8,0%
(Aumento Real de 3,17%)  =  R$870,00

Participação nos Lucros e Resultados: 12%
R$ 616,00

Pagamento em 2 parcelas:
1ª parcela, deverá ser efetuada junto com o Salário do mês de FEV/11.
2ª parcela, deverá ser efetuada junto com o Salário do mês de AGO/11.

escrito por jorge

Nov 11
Novidade na posse da nova diretoria do SIGEP  

O empresário Raphael Manzoni, diretor do Grupo Comunicare, é o mais jovem representante no corpo diretivo do Sindicato das Indústrias Gráficas do Paraná (SIGEP), eleito como 2º vice-presidente da entidade para gestão 2010/2013. Além de estar à frente do tradicional grupo, fundado há mais de 30 anos, Manzoni é diretor da Imprima Fácil, primeira gráfica digital instalada em shopping Center do Paraná, que já conta com quatro lojas em Curitiba. Portal da Propaganda


Preços para as famílias de baixa renda têm alta de 0,80% em outubro

Rio de Janeiro - O Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1), que mede a inflação para famílias com renda até dois salários mínimos e meio, chegou a 0,80% em outubro. A taxa superou a observada no mês anterior, quando a alta foi de 0,42%. Com os dados divulgados hoje (11) pela Fundação Getulio Vargas (FGV), o IPC-C1 acumula no ano aumento de 5,02% e, nos últimos 12 meses, de 5,43%.
Entre as sete classes de despesa que compõem o índice, quatro tiveram acréscimo em suas taxas de variação: alimentação (de 0,56% para 1,72%), com o aumento nos preços de hortaliças e legumes (de –7,15% para 1,88%); educação, leitura e recreação (de variação nula para 0,54%), pressionado por material escolar (de –0,54% para 1,39%); despesas diversas (de 0,10% para 0,21%), com destaque para cerveja (de -0,57% para 2,12%); e transportes (de variação nula para 0,02%), influenciado pelo aumento da gasolina (de 0,12% para 1,38%).
Subiram com menos intensidade os preços de habitação (de 0,21% para 0,12%), com a influência de taxa de água e esgoto residencial (de 0,96% para 0,47%); vestuário (de 1,44% para 0,77%), principalmente roupas (de 1,20% para 0,63%); e saúde e cuidados pessoais (de 0,71% para 0,06%), com destaque para artigos de higiene e cuidado pessoal (de 1,59% para -0,10%).
Entre os produtos que mais contribuíram para a inflação em outubro destacam-se o feijão-carioquinha (alta de 16,11%), a batata-inglesa (14,23%), o pão francês (2,08%), frango inteiro (6,16%) e feijão-preto (12,89%). Fonte: Agencia Brasil


Fiesp quer reforma trabalhista

No passado, o problema era o que o trabalhador em férias faria com seu tempo livre. Agora, a Fiesp reafirma sua preocupação com a reforma trabalhista, batendo pesado na atual legislação e espalhando mitos, por exemplo, que os encargos representam 102% do salário do empregado.
O tema foi um dos painéis do Congresso da entidade, dia 8 de novembro, que teve por slogan “Nosso compromisso é com o Brasil”. Na proa, o socialista Skaff; na retaguarda, o professor Pastore.
Propõe a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo:

1) Revisão da legislação e do modelo trabalhista, com foco prioritário nos seguintes aspectos:
Mudanças na organização sindical;
Mudanças em contratos de trabalho;
Promoção do uso da conciliação, mediação e arbitragem na solução de impasses.

2) Desoneração do sistema trabalhista:
Criação de um Simples Trabalhista;
Aperfeiçoamento do programa do MEI (Micro Empreendedor Individual);
Terceirização;
Aprovação dos contratos de formação para jovens recém-formados;
Modernização do seguro desemprego;
E, atenção: “novas formas de contratação. Exemplos: cooperativas, meio-ambiente (catadores de sucata), associações, artesão, PJs etc.

Dilma - A entidade dos barões paulistas vai entregar o documento à presidente eleita, Dilma Rousseff. Fonte: Agencia Sindical


Lançado o 'Perfil Migratório do Brasil 2009' 

Brasília, 10/11/2010 - Foi lançado na manhã desta quarta-feira (10) o livro 'Perfil Migratório do Brasil 2009', que traz um histórico da migração no país, índices sócio-econômicos, perfil do imigrante, número de autorizações de trabalho concedidas a estrangeiros, estoque de brasileiros residentes em outros países, dados sobre refugiados, emigração, análise do marco legal da política migratória no país, entre outras informações sobre o tema.
A publicação foi elaborada pelo Ministério do Trabalho e Emprego, pela Comissão Nacional de População e Desenvolvimento (CNPD) e pela Organização Internacional para as migrações (OIM). O evento contou com a participação do ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, do presidente do Conselho Nacional de Imigração (CNIg) do MTE, Paulo Sérgio de Almeida, e de conselheiros, professores e outros colaboradores da elaboração do livro.
O ministro Lupi elogiou a eficiente atuação do conselho de imigração e lembrou que o livro é uma fotografia da migração no Brasil. "Nosso país é muito receptivo ao migrante; em Brasília temos maioria nordestina, no Rio existem 1 milhão de mineiros e São Paulo é uma cidade cosmopolita. Além de receber bem os compatriotas, o Brasil tem muitas ascendências estrangeiras, recebe bem o estrangeiro e é um país pacifista. Somos exemplo em imigração, modelo para outros países. Somos um povo aberto de coração a receber as pessoas".
"Foi um trabalho extenso de pesquisa e estudo. É uma publicação de extrema utilidade para o Brasil, pois cumpre o importante papel de fornecer subsídios para a construção e o fortalecimento de políticas públicas de imigração", avaliou Paulo Sérgio de Almeida. Fonte: MTE


Após oito meses em alta, emprego na indústria tem queda de 0,1% em setembro

Rio de Janeiro - Após oito altas consecutivas, o nível de emprego na indústria brasileira apresentou leve queda de 0,1%, na passagem de agosto para setembro. Já em relação ao mesmo período de 2009 houve expansão de 4,9%. Com o resultado da Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário, divulgada hoje (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o emprego industrial acumula no ano aumento de 3,4%. Nos últimos 12 meses, a alta acumulada é de 1,5%, mantendo a trajetória de crescimento desde dezembro do ano passado.
De acordo com o levantamento, o rendimento dos trabalhadores da indústria cresceu 1,2% frente ao mês anterior e 9,5% em relação a setembro do ano passado. No ano, acumula alta de 6,4%. Já o número de horas pagas diminuiu 0,4% na passagem de um mês para outro, mas aumentou 5,3% se comparada ao mesmo período de 2009. Nos nove primeiros meses do ano, acumula alta de 4,3%.
Segundo o IBGE, as contratações superaram as demissões em relação a setembro do ano passado em todas as 14 regiões pesquisadas, com destaque para São Paulo (3,8%), especialmente na indústria de borracha e plástico (13,2%); Nordeste (6,1%); Rio Grande do Sul (7,0%); Região Norte e Centro-Oeste (5,9%); Santa Catarina (5,2%) e Rio de Janeiro (7,8%).
Ainda nesta base de comparação, o documento revela que o contingente de trabalhadores aumentou em 13 dos 18 segmentos pesquisados. As principais expansões foram observadas nos setores de máquinas e equipamentos (11%), meios de transporte (9,6%), produtos de metal (10,5%), borracha e plástico (10,6%) e máquinas, aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (9,0%). Por outro lado, os principais impactos negativos vieram de vestuário (-2,9%), papel e gráfica (-3,4%) e refino de petróleo e produção de álcool (-5,0%). Fonte: Agencia Brasil
 

Emprego nas montadoras cresce pelo 16º mês consecutivo

O número de trabalhadores na indústria automobilística
brasileira subiu pelo 16º mês consecutivo.Em outubro estavam empregados 135,3 mil trabalhadores nas fábricas, o que significa 0,9% em relação a setembro e 11% ante outubro de 2009. A Anfavea informa que desde julho do ano passado as fábricas registram expansão no volume de contratações. Fonte:Agencia Sindical

Jorge Caetano Fermino

escrito por jorge

Nov 11
Plural bate novo recorde de produção

A Plural bateu recorde de produção em setembro, atingindo a incrível marca de 204.861.457 giros de cadernos de 16 páginas.
Em julho, a Plural já havia alcançado 200.038.064 giros de cadernos de 16 páginas.
O crescimento da produção da Plural é resultado do forte investimento em tecnologia. Desde sua inauguração, é reconhecida por trabalhar com as mais modernas rotativas offset do mundo.
Alinhados à tecnologia de ponta, estão profissionais responsáveis pela excelente qualidade em produtos e serviços que é reconhecida pelos seus clientes, fornecedores e parceiros.
A Plural, maior indústria gráfica da América do Sul, também é por oito anos consecutivos líder em capacidade produtiva no Brasil. Os dados são da Análise Setorial da Indústria Brasileira de Gráficas com Rotativas Offset, pesquisa realizada pela consultoria AMSG para a ABRO — Associação Brasileira de Empresas com Rotativas Offset. Fonte: Plural


Coralis anuncia três cursos em Porto Alegre  

Orientar profissionais da área gráfica como controlar as cores dentro de sua realidade. Esse é o principal foco dos cursos oferecidos pela Coralis, empresa especializada em soluções de controle de cor no fluxo de trabalho. Sobre o tema, três palestras estão marcadas para os dias 22 e 24 de novembro, das 9h às 18h, em Porto Alegre (RS). No dia 22, o tópico será “Colorimetria – Fundamentos em Cor e Aparência”, com Pedro Gargalaca, engenheiro químico e diretor da Coralis.  No dia 23, o assunto será “Gerenciamento de cores em Artes Gráficas”, com Marcelo Copetti, consultor para gerenciamento de gores e controle de processos da Coralis. A última palestra será sobre “Calibração Fotográfica de A a Z”, ministrada por Ronaldo Rufino, consultor técnico de gerenciamento de cores em imagem digital da Coralis. Os cursos acontecem no SENAI de Artes Gráficas RS (av. Assis Brasil, 8450, Bairro Sarandi). Inscrições pelo telefone (11) 2915-0544 ou pelo e-mail sheila@coralis.com.br . Fonte:Grupo Sertec



Nova edição da revista Grifo com o selo FSC  

A 11ª edição da revista Grifo (Grupo Comunicare) apresenta em suas páginas o selo da Forest Stewardship Council (FSC). Isto significa que as páginas da publicação foram impressas em papéis provenientes de árvores reflorestadas, respeitando o conceito de sustentabilidade em cadeia. Segundo Raphael Manzoni, diretor do Grupo, a empresa iniciou o processo para obter a certificação em fevereiro deste ano, passando por adequações na cultura organizacional. A proposta da revista é a cada edição apresentar os recursos de impressão da Gráfica, com as últimas novidades do mercado e as soluções mais criativas e inusitadas. A distribuição do periódico é gratuita a um mailing com mais de 3 mil nomes e direcionada as áreas de comunicação, marketing, design, publicidade, jornalismo e cultura. Fonte: Abigraf



FGTS irá destinar R$ 30,6 bilhões para habitação em 2011

SÃO PAULO – O FGTS irá destinar R$ 30,6 bilhões ao setor de habitação no País, segundo decisão sobre o orçamento de 2011 aprovada na terça-feira (9) pelo Conselho Curador do fundo. Os representantes também aprovaram suplementação de R$ 5,3 bilhões no orçamento de 2010, para habitação popular.
Para o próximo ano, do total destinado à habitação, R$ 21 bilhões irá para crédito à moradia popular, R$ 2 bilhões para o Pró-Moradia (para população em vulnerabilidade social) e R$ 1 bilhão para o Pró-Cotista (para detentores de conta vinculada ao FGTS).
Além disso, uma reserva de R$ 4,5 bilhões para descontos na compra do imóvel para pessoas de baixa renda foi disponibilizada. O ministro do Trabalho e presidente do Conselho Curador do FGTS, Carlos Lupi, explicou a destinação do recurso: "Desse valor do desconto, R$ 3 bilhões estão destinados para o Programa Minha Casa, Minha Vida, na produção ou aquisição de pelo menos 150 mil imóveis novos".
Os R$ 2,1 bilhões restantes serão destinados aos CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários).
No geral, o conselho aprovou orçamento de R$ 46,9 bilhões. Fora o montante já reservado à habitação, mais R$ 4,8 bilhões seguirão para o saneamento básico e R$ 11,5 bilhões para infraestrutura.
Orçamento
Em 2010, o orçamento inicial aprovado foi de R$ 40,7 bilhões, sendo R$ 25,9 bilhões para a área habitacional, R$ 4,6 bilhões para saneamento básico e R$ 1 bilhão para infraestrutura urbana, informou o Ministério do trabalho. Fonte: Infomoney


Sistema previdenciário brasileiro é perverso, diz senador

SÃO PAULO - “Nossos trabalhadores são os que mais recolhem para o sistema e os que têm a aposentadoria mais perversa”.
A afirmação foi feita na última segunda-feira (8) pelo senador Paulo Paim (PT-RS). De acordo com ele, conforme publicado pela Agência Senado, a aposentadoria por idade no Brasil é uma distorção e a forma como é colocada para a sociedade é inadequada.
Atualmente, homens podem se aposentar aos 65 anos e mulheres aos 60 anos.
Desigualdade
Ainda de acordo com Paim, outro problema da aposentadoria brasileira é o fator previdenciário, cuja fórmula envolve expectativa de vida, tempo e alíquota de contribuição e a idade na data da aposentadoria.
Além disso, na opinião dele, o Brasil tem um sistema previdenciário desigual, já que, em janeiro de 2011, a aposentadoria no serviço público poderá chegar a R$ 30 mil, sem incidência do fator previdenciário, enquanto que o teto do regime geral é de R$ 3.416, com incidência do fator.
Outros países
Na comparação com outros países, o senador apurou que o total da contribuição de empregados e empregadores no Brasil é de 31%, sendo que o empregado recolhe 11% para a Previdência Social e o empregador, 20%.
Em países como Grã-Bretanha, Estados Unidos e Chile a soma das duas contribuições é de 23,8%, 12% e 12,4%, respectivamente. Já na França, somente o trabalhador contribui para a Previdência, com dedução de 7,85% do servidor público e de 10,55% do trabalhador da iniciativa privada.
“A situação dos brasileiros é, de longe, muito mais perversa”, disse o senador.


260 mil podem ter atrasados de 2010

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) tem dinheiro para pagar atrasados a cerca de 260 mil segurados com ações de até 60 salários mínimos (R$ 30.600, hoje) ganhas neste ano. Ainda está disponível para liberação R$ 1,438 bilhão, o que representa um terço de toda a verba prevista no Orçamento de 2010 para esses pagamentos.
Neste ano, o INSS já pagou R$ 2,362 bilhões em atrasados para mais de 420 mil segurados. Cada um recebeu cerca de R$ 5.592,36.
Se essa média for mantida, a grana disponível do INSS poderá quitar os atrasados de até 260 mil segurados até o final deste ano. Fonte: Agora SP


Corrija o IR até dia 15 e tenha restituição neste ano

O contribuinte que tem direito à restituição do Imposto de Renda deste ano, mas ainda não recebeu a grana, deve verificar se há erros na declaração entregue à Receita Federal. Caso tenha prestado alguma informação incorreta, será preciso enviar uma retificadora para ter a declaração --e a grana-- liberada.
De acordo com o supervisor nacional do IR, Joaquim Adir, o contribuinte que enviar a retificadora até o próximo dia 15 tem chances de entrar no último lote de restituições, que será pago no dia 16 de dezembro. "Se estiver tudo certo [na retificadora], o contribuinte provavelmente receberá no último lote", disse.
Na reta final do pagamento, a recomendação é não perder tempo. "Quanto antes o contribuinte enviar a declaração retificadora, mais chances terá de receber a restituição ainda neste ano", disse Adir. Fonte: Agora SP

Jorge Caetano Fermino

escrito por jorge

Ir para a página Primeira  226 227 228 229 230 231 232 233 234 235  Última