Out 09

Assinado nessa semana a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho que garante a manutenção de todas as cláusulas sociais até o dia 31 de agosto de 2021.
Já as cláusulas econômicas terão validade de um ano. Isso significa que no próximo ano teremos que negociar apenas a cláusula de reajuste salarial e seus reflexos sobre as cláusulas sócioeconômicas.
Conseguimos nessa negociação recompor os Pisos Salariais da categoria em cem por cento da inflação oficial que foi de 3,28%. Diante disso nenhum trabalhador do setor de casas de obra (Piso Normativo) poderá receber menos que R$1.619,20 que equivale a R$7,36 por hora.
Já os gráficos de Copiadoras e Gráficas Rápidas que são enquadrados no Piso Salarial Diferenciado, o valor do mínimo a receber será de R$1.245,20, com o valor por hora trabalhada de R$5,66.
Os trabalhadores que recebem salários superiores ao Piso Salarial Normativo terão seus salários reajustados em 5% (cinco por cento).
Na Participação nos Lucros e Resultados, embora o patronal tenha pressionado pela redução de 20% do valor, conseguimos manter o mesmo valor que foi pago no acordo passado, ou seja, R$543,00 foi mantido e os trabalhadores vão receber este valor divididos em duas parcelas, sendo a primeira em 09/03/2020 e a segunda em 10/07/2020.
O Vale Compras foi reajustado em R$10,00, com isso o valor passa a valer R$85,00.
Com o reajuste de 3,28% no Piso Salarial, que regula o valor do auxílio creche, as trabalhadoras que tem crianças com idade de até três anos terão um auxilio no valor de R$485,76.
Sueli Reis que é a Presidente do Sindicato avalia como positiva a negociação, levando-se em conta a atual conjuntura econômica em que passa o país e as dificuldades que o setor gráfico da região vem sofrendo. A renovação da Convenção Coletiva por dois anos foi o fator mais relevante nessa negociação se levarmos em conta o atual momento político, onde o atual governo a todo instante ameaça retirar direitos já conquistados dos trabalhadores. Esperamos com isso que o trabalhador tenha consciência da importância e da necessidade de um Sindicato forte para negociar não só o reajuste salarial, mas sim lutar para manter os direitos já conquistados. Conclui Sueli Reis.

 
 

escrito por jorge

0 Comentários


Clique aqui para registrar-se