Jul 29
Já que a reforma trabalhista tirou a obrigatoriedade das homologações serem realizadas no Sindicato, alertamos todos os trabalhadores gráficos da baixada santista que as rescisões de contrato que foram realizadas no período mais agudo da pandemia podem ter sido feitas sem a realização do exame demissional, o que pode trazer problemas de saúde para os trabalhadores e para uma futura contratação em outra empresa no momento que essa venha realizar o exame admissional para a assinatura do novo contrato de trabalho.
Na época em que as homologações eram realizadas no Sindicato, a comprovação da realização deste exame era um dos documentos exigidos no ato homologatório, podendo até ser suspensa a homologação caso a empresa não apresentasse o exame atestando a capacidade laborativa do empregado. Conta Sueli Reis
Chamamos atenção até porque as clínicas especializadas na realização desses exames não estavam funcionando, principalmente no período mais agudo da pandemia, respeitando os protocolos de isolamentodistanciamento social em virtude do Covid-19.
Além de alguma doença ocupacional que o trabalhador possa ter adquirido durante seu tempo laboral na empresa, ainda tem o risco de ter contraído alguma sequela causada pelo Covid, neste caso para aqueles trabalhadores que efetivamente estiveram na linha de frente naquelas empresas que não suspenderam a produção durante a pandemia.
Vale lembrar que na justiça trabalhista é possível provar através de um pedido do nexo causal da doença, de acordo com a função desempenhada pelo empregado. Isso só é possível com a prova com laudo médico pericial.
 
 

escrito por jorge

0 Comentários


Clique aqui para registrar-se